Pitadas Gastronômicas

A TV VIROU GOURMET

 

     Quase nunca vejo TV, e isso não é para parecer pós moderna, engajada ou diferente dos outros, não vejo porque não tenho muita paciência para a maioria da programação. Mas, como boa aspirante a cozinheira tenho visto programas que se dizem gastronômicos com uma certa frequência, e como adoro escrever sobre tudo, anotei impressões sobre o assunto e a cada programa que vejo penso: que diabos é esse comida que estamos aprendendo a fazer?

     O mundo de Rodrigo Hilbert, no seu Tempero de Família (GNT) tem um que meio nostálgico, uma ideia na mão, uma câmera na cabeça e um sitio com muito verde para chamar de seu. O ator fala da boa vida das galinhas, mostra o sol entrando e não dispensa as gotas de suor do seu rosto, sensualmente exploradas. Não aguentei quando ele cozinhou um pato numa panela de pressão, desfiado grosseiramente para se juntar a um arroz triste e sem graça. Ele usa até milho enlatado, mas o seu cabelo é impecável.

     Mas gente bonita não é sinônimo de comida tosca, Rita Lobo a ex modelo, esbanja conhecimento técnico no seu Cozinha Prática (GNT). Alimentos básicos e versáteis como feijão, arroz e ervas desfilam em sua bancada. Geralmente são receitas rápidas de boa execução, com fácil linguagem até para o mais leigos no assunto. Gosto até das fotos com a excelente produção que faz de cada prato, isso mostra que a estrela não é a própria Rita, mas a comida. É um programa de receitas possíveis, seria a nossa salvação da gourmetização?

     A coisa piora muito na cozinha da atriz global Carolina Ferraz, o tal toque gourmet que ela busca me dá nos nervos, e os coquetéis para harmonizar com o prato são sempre estranhos. Tentei um frango que não ficou bom e quando penso em suas receitas prefiro uma xícara de chá de hibisco gelada. Mas tudo pode piorar com a Bela Gil que apresenta coisas supostamente saudáveis capazes de desenvolver o apetite em velocidade fora do comum para alimentos como melancia grelhada, purê de nabo ou inhame ao forno com alguma erva selvagem.

     E o que falar da invasão francesa, nesse quesito sou suspeita. Não dá para falar sobre programa de comida brasileiro sem falar de Claude Troisgros. Pioneiro Claude se reinventa a toda hora, com novos programas e formatos. Seu colega Olivier Anquier também faz um ótimo trabalho sozinho. Esses são somente os programas que vejo, no Brasil há de tudo e ao que parece a TV ainda guarda muitas surpresas para os nossos estômagos. Eu fico com o que funciona, porque antes de ser gourmet, eu gosto é de comida boa.

Comentários