Pitadas Gastronômicas

TRUFA NEGRA: O DIAMANTE DA GASTRONOMIA

Se algo não dá emoção não significa nada para mim, uma das melhores emoções que tenho são as gastronômicas, aquelas que agradam os sentidos como o paladar, o aroma e a vista. Essas emoções são testadas em meu restaurante preferido, uma cantina italiana, aqui na minha cidade que serve um Fettuccini al tartufi nero, a trufa negra é o ingrediente protagonista. Gosto de seguir a tradição e antes desse prato principal peço a entrada, que é sempre um Focaccia de alecrim, e após um doce.
 
 
 
A trufa negra é o diamante negro da gastronomia, é um fungo que brota espontaneamente de novembro a março nos bosques da Úmbria, região que fica no centro da Itália, mas ele dá também em outros países como França e Alemanha, são encontrados também, no Óregon Estados Unidos e na Nova Zelândia. Lendo sobre o assunto soube que o apreço e os aspectos culturais e simbólicos que a trufa negra exerce na Itália é tão grande que a população encontra formas de preserva-la.
 
 
Reitero o pensamento da maioria, o seu sabor é inigualável, me arrisco a dizer, que tem um gosto que remete a nozes, porém muito mais aromático, suave, refinado, com um que de sensual. O prato de massa é mero coadjuvante, as trufas são o elemento central, a alegria do prato e do momento gastronômico, não podem ser misturadas com ingredientes de sabores fortes, como alho ou manjericão, degustar um prato preparado com elas, vai além da experiência meramente gastronômica, é algo sensorial. O segredo da gastronomia italiana não é algo rebuscado, as receitas são simples, mas, os ingredientes são de qualidade. Acredito que o prazer dessa lembrança, em degustar um prato de azeite e massa com um toque trufado, está em entender que as melhores coisas da mesa e da vida são muito mais simples do que a gente imagina. 

Comentários