Pitadas Gastronômicas

O COZINHEIRO IMPERIAL: AS PRIMEIRAS RECEITAS BRASILEIRAS

            Passeando pela internet encontrei em versão digitalizada pela Universidade de São Paulo do acervo do José Mindlin o livro O Cozinheiro Imperial, considerado o primeiro livro de receitas brasileiro. Tudo no livro é interessante, desde o autor que não se identifica, o português da época até a reconstrução dos hábitos da sociedade. Publicado pela primeira vez em 1840, recebeu sucessivas edições até o final do século XIX.

            O livro tem a curiosa apresentação: Cozinheiro Imperial ou nova arte do cozinheiro e do copeiro em todos os seus ramos, com receitas que deveria servir as esplêndidas mesas e delicados gostos, bem como ao alcance das mais moderadas posses e das mais simples necessidades. Mas, o livro não era propriamente uma novidade, pois reproduzia O Cozinheiro Moderno, publicação de Lucas Rigaud um francês que foi para Portugal cozinhar para Dona Maria I, a rainha louca.


            O livro tem desenhos dos alimentos a bico de pena, e costumes que já estavam em desuso na época como boas maneiras e trinchadores de carne à moda medieval. Mas é interessante pelo segredos dos molhos, o perfume dos alimentos, e a adaptação da cozinha internacional aos costumes dos trópicos. Reproduzo aqui uma das suas interessantes receitas: Língua de carneiro– estando meio cozidas em água, tire a pele e acabe de cozer em brasa; abra-se depois ao meio e ponha numa caçarola com azeite bom ou manteiga derretida; tempere-se com pouco sal, pimenta, cebolinha, alho, tudo bem picado, e cobertas muito bem de pão ralado. Assa-se na grelha e serve-se com molho de limão.

Comentários

2 Comments

  1. Que delícia Aila,amo livros antigos
    umas das coisas que agrada-me
    é o cheirinho da idade, a textura macia
    do manuseio das muitas mãos.

    A consciência de que outros tantos antes de mim
    o estiveram a ler e a fazer interpretações similares
    ou diferentes da minha.

    Pelo que percebi esse exemplar é quase uma
    relíquia não é?

    As ilustrações feitas a bico de pena
    devo imaginar que o papel também deve
    ser especial.

    Apreciei deveras tua noticia,meus cumprimentos

    Olha que já reparei aqui no teu espaço tem
    uma variedade de publicações excelentes.

    Virei mais vezes,desde já fica o convite
    para visitar o Nosso Refúgio, serás bem vinda.

    Ps: Divulguei no twitter e no Google+

Comments are closed.