No Gramofone

VERDE QUE TE QUERO ROSA O MELHOR DISCO DE SAMBA

 

    O carioca Cartola faz parte daquele seleto grupo de artistas da música popular brasileira responsável por torna-la doce, lírica com alegria elegante e contagiante. Escuto Cartola e minha alma se enche de lembranças de um tempo e situações imprecisas. Seu samba é autêntico, já li em vários lugares que sua música forma o que se chama de realeza do samba, ouvi-lo é ter a sensação de está tomando um café num botequim no morro, sentindo o vento das praias cariocas ou simplesmente ver o tempo passar com muita poesia.

            “Verde que te quero rosa” é o terceiro disco de Cartola lançado em 1977 é o primeiro feito em uma grande gravadora, RCA (afiliada à Sony). É o tipo de trabalho que figura sempre na lista dos discos mais importantes da música brasileira. É um samba tranquilo, embora não seja tão arrebatador tem músicas brilhantes como “Autonomia”, “Tempos Idos” e “Pranto do Poeta”, aquela música que diz quando morre um poeta em mangueira todos choram. O disco todo é um deleite, parece obra de arte as músicas assinadas pelo mestre da Mangueira.

            Como dizia Nelson Sargento: “Agenor de Oliveira (Cartola) não existiu foi um sonho que tivemos”. Sua contribuição a música brasileira é inestimável, exímio violonista, sua concepção harmônica suas melodias e versos são maravilhosos. Cartola viveu até 1980, mas vive eternamente no mundo e na vida daqueles que conhecem sua música.

Comentários