Sgt. Pepper’s : O MELHOR DOS BEATLES

Postado dia 19 de dezembro de 2013, em No Gramofone

            Já tinha pensado em como escrever sobre os Beatles aqui no blog, ouvindo incontáveis vezes o disco Sgt. Pepper’s pensei por que não falar dele, afinal é o melhor da mítica banda. Mesmo sabendo que se trata de um clichê cultural, esse disco é uma referência, um paradigma e vejo que artistas da nova geração tentam recriar na internet no ambiente das músicas virtuais, a noção de álbum, mesmo que hoje os jovens escutem músicas individuais e não o disco inteiro.


            Sucesso de crítica e público imediato na ocasião do seu lançamento 47 anos atrás, Sgt. Pepper’s marca a maioridade dos Beatles e foi concebido em uma época em que Jonh, Paul, Georg e Ringo estavam cansados da beatlemania e resolveram deixar as turnês. A partir daquele momento seriam um banda de estúdio como os maiores do seu tempo e poderiam assim, usar todos os recursos disponíveis.


            Sgt. Pepper’s é quase um disco inteiramente conceitual, ultrapassando a linha do pop rock ao se aproximar do mundo erudito em A Day in the life, e quando Georg se aproxima do mundo oriental com uma cítara. Foi justamente com esse disco que o produto virou pop, uma nova forma de pensar a música dentro de uma escala de grandeza, nunca antes vista.


            Ícone cultural a música dos Beatles ainda seria um marco da estética hippie, seu mais fiel representante, numa das associações mais fortes entre música e comportamento, entre banda e sentimento de uma geração. Era o ápice do psicodelismo, mensagens cifradas as drogas podem ser encontradas ou não em canções como Lucy and Sky with Diamonds, mostrando que uma banda de rock servia para algo mais do que fazer as pessoas dançarem.


            O clássico dos Beatles sobreviveu porque extrapolou meramente a música, com o álbum eles saíram da estética pop e atingiram o patamar de grande arte. No Brasil influenciaram a tropicália de Gilberto Gil e Caetano Veloso além do rock dos mutantes. Comprei o disco no I tunes a loja de música virtual da Apple e ao contar pela classificação do volume de vendas, o caminho para a ousadia pop foi aberta por ele e é por isso que ele continua atual, com vinil ou de forma virtual. 

Comentários

AÍLA ALMEIDA

Leitora compulsiva, levo a vida a assistir filmes, escrever textos que me acalma e fazer bolos. Queria saber desenhar e costurar. Quero passar um tempo em Paris, pular de para quedas, criar mais um cachorro. Queria se poliglota, estudo inglês, francês e italiano a anos. Ao que tudo indica nasci no século errado.

Postado dia 19 de dezembro de 2013, em No Gramofone

RITA LEE UMA AUTOBIOGRAFIA

Sou uma leitora assídua de biografias e fã da Rita Lee, ler seu texto foi daqueles livros que se faz quase sem respirar. Parece que ler a história da vida de músico tem um to[...]

LEIA MAIS
Postado dia 19 de dezembro de 2013, em No Gramofone

ESTÁ TOCANDO NA MINHA PLAYLIST

 

       Nat King Cole- nunca vi ninguém com tamanha classe. A imagem que tenho dele é vestido de branco ao p[...]

LEIA MAIS
Postado dia 19 de dezembro de 2013, em No Gramofone

CHEGA DE SAUDADE: A HISTÓRIA E AS HISTÓRIAS DA BOSSA NOVA

 

      A História e as Histórias da Bossa Nova (1990) do jornalista Ruy Castro, é um livro agradável.  Seu rel[...]

LEIA MAIS
Postado dia 19 de dezembro de 2013, em No Gramofone

BOWIE NOS LEVA AO FUTURO

 

    Coincidentemente uma[...]

LEIA MAIS