No Gramofone

CHEGA DE SAUDADE: A HISTÓRIA E AS HISTÓRIAS DA BOSSA NOVA

A História e as Histórias da Bossa Nova (1990) do jornalista Ruy Castro, é um livro agradável.  Seu relato mescla em tom jornalístico, literário e até sentimental, o percurso da introdução, o desenvolvimento e o suposto fim do estilo musical que consolidou grandes artistas brasileiros. A Bossa Nova é uma das maiores manifestações culturais do século XX, com notável repercussão internacional. O estilo foi inaugurado em 1958 e encantou o mundo. Compreender a Bossa Nova pela escrita de Ruy Castro é incrível e o livro um dos textos mais bonitos e inesquecíveis que já li.

      A impressão que tenho é que o texto apresenta a cada capítulo um novo elemento para a emocionante e divertida história dos músicos e das músicas que mudaram a forma de cantar e tocar, tanto no Brasil quanto internacionalmente. Músicas como “Garota de Ipanema” e “Chega de Saudade” são símbolos do país. Elizete Cardoso cantou o primeiro disco e levou a um número maior de pessoas a batida de João Gilberto, Tom Jobim, Vinicius de Morais e os encontros no apartamento de Nara Leão não era os únicos. Ronaldo Bôscoli, Carlinhos Lyra, contribuíram para a harmonia da música num clima de amor, simplicidade e sofisticação.

      As fontes de Ruy Castro foram em sua maioria os próprios personagens. O livro narra uma verdadeira saga de epopeia de amores, intrigas, dores e alegrias. A Bossa Nova é um período belíssimo da nossa história, e não é exagero imaginar como o maior símbolo dos nossos chamados anos dourados, o movimento deu uma nova cara ao país. A história da Bossa Nova é um movimento que merece ser revisto e recontado de forma ampla para o grande público onde a euforia dos shows começaram a quase sessenta anos.

Comentários