CHEGA DE SAUDADE: A HISTÓRIA E AS HISTÓRIAS DA BOSSA NOVA

Postado dia 16 de setembro de 2016, em No Gramofone

 

      A História e as Histórias da Bossa Nova (1990) do jornalista Ruy Castro, é um livro agradável.  Seu relato mescla em tom jornalístico, literário e até sentimental, o percurso da introdução, o desenvolvimento e o suposto fim do estilo musical que consolidou grandes artistas brasileiros. A Bossa Nova é uma das maiores manifestações culturais do século XX, com notável repercussão internacional. O estilo foi inaugurado em 1958 e encantou o mundo. Compreender a Bossa Nova pela escrita de Ruy Castro é incrível e o livro um dos textos mais bonitos e inesquecíveis que já li.

      A impressão que tenho é que o texto apresenta a cada capítulo um novo elemento para a emocionante e divertida história dos músicos e das músicas que mudaram a forma de cantar e tocar, tanto no Brasil quanto internacionalmente. Músicas como “Garota de Ipanema” e “Chega de Saudade” são símbolos do país. Elizete Cardoso cantou o primeiro disco e levou a um número maior de pessoas a batida de João Gilberto, Tom Jobim, Vinicius de Morais e os encontros no apartamento de Nara Leão não era os únicos. Ronaldo Bôscoli, Carlinhos Lyra, contribuíram para a harmonia da música num clima de amor, simplicidade e sofisticação.

      As fontes de Ruy Castro foram em sua maioria os próprios personagens. O livro narra uma verdadeira saga de epopeia de amores, intrigas, dores e alegrias. A Bossa Nova é um período belíssimo da nossa história, e não é exagero imaginar como o maior símbolo dos nossos chamados anos dourados, o movimento deu uma nova cara ao país. A história da Bossa Nova é um movimento que merece ser revisto e recontado de forma ampla para o grande público onde a euforia dos shows começaram a quase sessenta anos.

Comentários

AÍLA ALMEIDA

Leitora compulsiva, levo a vida a assistir filmes, escrever textos que me acalma e fazer bolos. Queria saber desenhar e costurar. Quero passar um tempo em Paris, pular de para quedas, criar mais um cachorro. Queria se poliglota, estudo inglês, francês e italiano a anos. Ao que tudo indica nasci no século errado.

Postado dia 16 de setembro de 2016, em No Gramofone

RITA LEE UMA AUTOBIOGRAFIA

Sou uma leitora assídua de biografias e fã da Rita Lee, ler seu texto foi daqueles livros que se faz quase sem respirar. Parece que ler a história da vida de músico tem um to[...]

LEIA MAIS
Postado dia 16 de setembro de 2016, em No Gramofone

ESTÁ TOCANDO NA MINHA PLAYLIST

 

       Nat King Cole- nunca vi ninguém com tamanha classe. A imagem que tenho dele é vestido de branco ao p[...]

LEIA MAIS
Postado dia 16 de setembro de 2016, em No Gramofone

BOWIE NOS LEVA AO FUTURO

 

    Coincidentemente uma[...]

LEIA MAIS
Postado dia 16 de setembro de 2016, em No Gramofone

CHICO CÉSAR AGRADA COM ESTADO DE POESIA

 

        Chico César faz parte de minhas preferencias musicais desde sempre, me lembra a adolescên[...]

LEIA MAIS