Natureza e Sociedade

VOCÊ E SEU CORPO

Estamos terminando fevereiro e você provavelmente está de dieta. Mais do que qualquer eixo da vida (carreira, relacionamentos, finanças), a cultura contemporânea é capaz de criar uma relação hipercrítica do nosso corpo. Mesmo aqueles que não mergulham em dietas radicais a base de chia e castanha, quase sempre nutrem a esperança em se tornar a sílfide, ninfa dos bosques e a magreza dos santos, nunca foi tão desejada. Consulte suas ideias e possivelmente vai encontrar: “este será o ano que vou emagrecer”.

    Basta abrir qualquer site, redes sociais, ligar a TV, ver uma revista que você será bombardeado por uma profusão de anúncios bombásticos que prometem emagrecimento e produtos para ajudar a faze-los. Não quero dizer com isso que não se deva fazer esforços para ter saúde, se a saúde for importante para você, mas um número numa balança não é saúde. O tamanho de um vestido não é saúde.

    Mesmo com minhas limitações de saúde estou longe em me odiar, já pensou passar a vida a base de uma dieta sem glúten e lactose (mesmo podendo comer esses alimentos), a que ponto você se odeia e não se permite um sorvete, um pedaço de bolo ou um pastel quentinho. Não sou especialista em autodisciplina, mas me permito o prazer à mesa. Se você está de dieta, se troca um bom pãozinho com manteiga no café da manhã por um sheik de Whey e está se sentindo ótima com isso, parabéns, lhe desejo sucesso. Seu corpo é seu. Se está de dieta e isso lhe causa sofrimento e pensamentos desagradáveis, lembre-se saúde mental também é saúde, assim, continuo com a minha velha máxima: o melhor treino é ser boa para si mesma.

Comentários