Natureza e Sociedade

SOMOS MELHORES E PIORES DO QUE COSTUMAMOS IMAGINAR

 

     Desde que iniciei a análise que ando meio obcecada em ler mais sobre Freud e entender sobre o assunto. Na sala da terapia tem uns quadros que representam o inconsciente, daí para pensar e questionar o que sonhamos na hora do sono foi um pulo. Nossos sonhos sempre nos enchem de deslumbramento, horror e perplexidade, uma peculiar sensação de êxito se instala quando os recordamos na manhã seguinte. O interessante do sonho é que pode ser uma expressão da verdade, já que não podemos sonhar mentiras.

     A construção de uma fábrica de sonhos é fundamental, principalmente numa época em que o mundo aparece óbvio e sem segredos, em que a aparência não se preocupa em se misturar com os sentidos mais essenciais. Ao que parece as pessoas cada vez mais procuram fugir do sofrimento da condição humana e mais ainda de si mesmas, através da superficialidade das relações, culto exacerbado ao individualismo e a auto-imagem. Escrevo para ordenar meus pensamentos, escrever é como sonhar, só que um sonho que é tornado comum.

   Nos tempos em que vivemos, se faz cada vez mais necessário a busca pela educação dos sentidos, dos conflitos, seja pessoal, cívica ou política. O bem cego que busca encontrar soluções de todas as formas para tentar resolver o que se propôs, é impotente, quando muito serve a má consciência dos bem-intencionados. Fazendo uma reflexão sobre o cenário da política nacional me pego a pensar: qual será a educação humanista que iremos herdar desse cenário? como somos de fato? quais as razões daqueles que propõem suas ideologias? Por que muitos não se arriscam? Somos melhores e piores do que podemos imaginar, quanto a isso os sonhos com seus simbolismos têm muito a nos revelar, e a melhor saída que encontrei foi na cadeira do analista.

Comentários