O PENSAMENTO SELVAGEM DE LÉVI STRAUSS NOS MOSTRA QUE NÃO EXISTE SUPERIORIDADE ENTRE CULTURAS

Postado dia 13 de fevereiro de 2016, em Natureza e Sociedade

    O Antropólogo francês Claude de Lévi Strauss (1908-2009) é considerado um dos maiores intelectuais do século XX, professor da Universidade de São Paulo, realizou estudos com tribos indígenas do Brasil e revolucionou absolutamente o pensamento das sociedades, introduzindo a ideia de elementos estruturantes comuns ao pensamento humano em todas as sociedades. Ele compara o pensamento dito “selvagem” com o “pensamento científico”, fazendo a analogia de que o primeiro seria um pensamento concreto e o segundo um pensamento abstrato. Ele compreende que o pensamento em ambas as culturas sobre o mundo são lógicos e que todos utilizam meio de classificar o mundo em que vivem.

     O espírito humano é igualitário no aspecto da visão de mundo, não existe oposição entre selvagens e civilizados, bem como, não existe exotismo absoluto. As sociedade ditas primitivas usam o seu pensamento como o sistema de bricolagem, ou seja, utilizam elementos pré-existentes que não foram criados especialmente para o seu projeto. Esses povos usam uma lógica concreta, construída a partir de dados sensoriais de experiência. Os que usam o pensamento científico (pensamento abstrato), se amparam nos grandes esquemas explicativos, sinais matemáticos e classificações biológicas.

    Essa noção de pensamento mostra um traço universal do espírito humano, em que o modo de pensar de diferentes culturas são idênticos. A importância disso é mostrar que não se pode hierarquizar povos e culturas, como se alguns fossem superiores a outros. Isso mostra a necessidade da existência de diversidade cultural. Esse pensamento é absolutamente atual porque combate o preconceito e a ideia de superioridade entre culturas, mostrando que a discriminação não tem nenhuma justificativa científica.

    O “pensamento selvagem” não é o pensamento dos “selvagens”, mas o pensamento humano em seu livre exercício, ainda não domesticado. A diferença que existe entre as culturas como (pensamento primitivo e pensamento científico) é apenas de ordem lógica. É como se o pensamento primitivo trabalhasse com os cinco sentidos do corpo, já que o pensamento científico trabalha com teorias e conceitos, que servem de mediadores entre o ser humano e o mundo. O pensamento selvagem seria um elemento de toda a humanidade e que podemos encontrar em nós, mas normalmente preferimos encontrar nas sociedades exóticas.

Comentários

AÍLA ALMEIDA

Leitora compulsiva, levo a vida a assistir filmes, escrever textos que me acalma e fazer bolos. Queria saber desenhar e costurar. Quero passar um tempo em Paris, pular de para quedas, criar mais um cachorro. Queria se poliglota, estudo inglês, francês e italiano a anos. Ao que tudo indica nasci no século errado.

Postado dia 13 de fevereiro de 2016, em Natureza e Sociedade

EMANUEL MACRON NOS BASTIDORES DA VITÓRIA

Vi, mas uma excelente produção da Netflix, Macron nos bastidores da Vitória (2017) que segue a trajet[...]

LEIA MAIS
Postado dia 13 de fevereiro de 2016, em Natureza e Sociedade

O TENETISMO NUMA NARRATIVA ELETRIZANTE

 

    Tenentes (2016) é um livro do jornalista Pedro Dória que se valeu de um acontecimento meio obscuro na história do Brasil (O Tenentismo) para escrever um texto e[...]

LEIA MAIS
Postado dia 13 de fevereiro de 2016, em Natureza e Sociedade

VIVEMOS NUM MUNDO LÍQUIDO

No início desse ano morreu Zigmund Bauman, filósofo polonês que definiu o nosso mundo contemporâneo como sendo “líquido”, mas o que formaria esse conceito e esses n[...]

LEIA MAIS
Postado dia 13 de fevereiro de 2016, em Natureza e Sociedade

AFINAL DE CONTAS O QUE É FEMINISMO?

 

    A história das mulheres é uma história de esquecimentos, já que o mundo sempre foi explicado pelos homens. O feminismo nos [...]

LEIA MAIS