Natureza e Sociedade

A INTERPRETAÇÃO DOS SONHOS DE FREUD

 

    Existe um lado negro em todos nós onde nossos medos, desejos e raiva proibidos espreitam. Esses desejos inconscientes não descansam silenciosamente na psique humana eles são, de certa forma, nosso inimigo interno. Sigmund Freud se orgulhou em perturbar o sono da humanidade. Na virada do século em Viena, na Áustria Dr. Sigmund Freud afirmou ter descoberto uma nova porta para o inconsciente, com seu livro  “A Interpretação dos Sonhos”, lançado em 1900 ofereceu aos leitores uma janela ao nosso eu mais secreto, ele sugeriu que geralmente, o propósito dos nossos sonhos é satisfazer através da fantasia os impulsos instintivos que a sociedade julga inaceitáveis.

 

Freud breaks down

      As leis da lógica que governam nosso mundo desperto não se aplicam ao reino do sono aonde nós somos livres para viver aventuras fantásticas. Freud se convenceu que os sonhos revelam traumas escondidos. “A Interpretação dos Sonhos” era baseado em sua visão da natureza humana. Ele nos via basicamente guiados por impulsos agressivos e o desejo por prazer. Nós aprendemos como reprimir nossos impulsos animais enquanto crescemos para que possamos nos entender com a sociedade, mas nunca conquistamos totalmente nosso ser primitivo. A psique funcionaria como um campo de batalha onde sentimentos estão sendo reprimidos, emoções não expressas geralmente levam a problemas. Sonhos seriam a realização de um desejo disfarçado.

Mesmerized man lying down on coach in psychiatrist office

    Freud mostra que em cada sonho há mais do que os olhos podem ver. Seu livro e seu pensamento são profundos, com o estudo dos sonhos ele deixa o importante questionamento: como o sonhador dá significado aos símbolos? Para mim o mais importante da leitura foi compreender como se convive com a perda? Qual o significado que damos ao passado? Apesar de seus detratores, nossa cultura, achou Freud e sua visão perturbadora da mente, intrigante o suficiente para ser lida e discutida por cerca de um século.

The magical wishes

    Para mim a lição desse grande livro é que nós fazemos sentido, precisamos do nosso passado porque nós precisamos ser mais livres no presente, aceitando nossos conflitos intensos e algumas vezes dolorosos. Encontre uma forma de fazer sentido de quem você tem sido, de onde você veio, isso é uma maneira de dar a si mesmo mais possibilidades no futuro, para que nossas escolhas no presente sejam mais ricas, mais complexas, mais longas, porque agora nós temos uma interpretação do passado. Talvez desde que Dr. Freud nos convidou a deitar no divã tenhamos conhecido apenas os menores fragmentos da mente humana e seus sonhos. Gostando ou não, no mínimo Freud nos convidou a nos examinar e a sessão de análise não está terminada.

Comentários