Na Estante

STONER, UM LIVRO SOBRE O DESAMPARO DA EXISTÊNCIA

 

     Stoner de Jonh Williams é um livro muito bem escrito que fala da vida comum, real, sem heroísmos ou grandes feitos. Lançado em 1965, foi somente nos últimos dois anos que foi redescoberto e tornado campeão de vendas em diversos países. A história se passa no Missouri nos Estados Unidos e conta a vida de Stoner, um filho de camponeses pobres que saí de casa para estudar agronomia na Universidade e acaba gostando de inglês e literatura tornando-se professor.

Autumn leaves

     A narrativa é em terceira pessoa, a escrita é elegante e linear. Seguimos de forma letárgica a vida desse personagem. De modo apático percebemos o seu afastamento dos pais, o casamento com Edith, uma moça criada para ser uma esposa perfeita, que o prende no mais infeliz dos casamentos, a resignação com que é subjugado pelos colegas em sua carreira acadêmica, a desestruturação psíquica da filha que assim como ele é atormentada pelos distúrbios de Edith. O livro é um espelho e nos fala da vida de forma simples, com um realismo impressionante.

That cold stare could melt any heart

 

    O leitor vai se identificar com as imagens construídas pela escrita. Vai se entusiasmar quando Stoner encontra o amor com uma professora mais jovem, vai se emocionar com a poesia de sua morte. A obra é daquelas que deixam indagações: como você se comporta diante da vida? Porque você escolheu o caminho que tem percorrido? A leitura de modo geral é um prazer solitário, é um mundo que se ilumina para dentro. Stoner conta a vida de todo leitor, de todos os que sentem prazer no estudo na pulsão de vida interior que o conhecimento suscita é a redenção por meio da literatura, é o desamparo da existência por meio da arte.

Comentários