Na Estante

QUANDO LI TÊTE À TÊTE A HISTÓRIA DE SARTE E SIMONE DE BEAUVOIR

            Tête à Tête da americana Hazel Rowley foi lançado em 2006, desde então eu guardava a ambição de ler a obra. Primeiro porque amo biografias, depois como não se apaixonar pela vida do casal mais libertário do século XX.  A autora se dedicou a Sartre e Simone de Beauvoir por mais de três décadas, sua tese de doutorado é uma entrevista que fez com a escritora falando sobre o existencialismo. A vida do casal foi revelada nesse livro de forma esmiuçada.

            O livro começa poético comparando o célebre casal a Abelardo e Heloísa. O texto é a história da relação entre os escritores e filósofos existencialistas franceses Jean Paul Sartre (1905-1980), Simone de Beauvoir (1908-1986) e questões de interesse do grande público, como a defesa da liberdade, a vida além de uma relação monogâmica (ambos tinham amantes), as viagens pelo mundo, o papel dos intelectuais na sociedade.

             A militância do casal influenciou uma série de autores na segunda metade do século 20. É surpreendente como o livro explora aspectos da vida íntima de Sartre e Beauvoir, desfazendo certas idealizações infundadas. Recomendo que o leitor preste atenção nas cartas inéditas que compõem essa biografia. Algumas delas foram vendidas pela filha adotiva de Sartre. Tenho a edição francesa e a brasileira, a última é melhor porque se baseia na edição americana. Leitura agradável e interessante para quem deseja fugir das raias do conservadorismo contemporâneo.

Comentários