O PAPEL DE PAREDE AMARELO

Postado dia 07 de outubro de 2016, em Na Estante

 

Floral pattern, full frame

        O Papel de Parede Amarelo (1891) de Charlotte Parkins Gilman faz parte daquela categoria de textos que causam mais impacto do que divertem. Quando vi o conto não imaginava uma leitura tão densa, profunda e até perturbadora. Confesso que fiquei chocada. A protagonista foi diagnosticada com histeria, distúrbio psíquico comum no século 19, o interessante que quem determinou o quadro foram seu marido e irmão que eram médicos reconhecidos.

ooooo

      A protagonista é obrigada a ficar num quarto que não deseja e a não fazer esforço físico, a única coisa que lhe chama a atenção é um papel de parede amarelo que lhe causa horror. Aos poucos acompanhamos a desestruturação psíquica da personagem, privada de companhias, de escrever, de ficar no quarto. O conto é construído mostrando o papel que é imposto a mulher na sociedade, de cumprir ordens e ser reprodutora da realidade social imposta para o feminino.

Balloons

     O conto é tão impactante que o sentido da leitura vai depender do grau de entendimento do leitor. Eu o compreendi no aspectos sociológicos, psicológicos e de terror leve. “De todo modo, não estranho nem um pouco seu comportamento, depois de três meses dormindo sob esse papel”. Apesar de densa a escrita é simples, um texto desconcertante mas inteligente, mais do que recomendado e fundamental em minha estante.

Comentários

AÍLA ALMEIDA

Leitora compulsiva, levo a vida a assistir filmes, escrever textos que me acalma e fazer bolos. Queria saber desenhar e costurar. Quero passar um tempo em Paris, pular de para quedas, criar mais um cachorro. Queria se poliglota, estudo inglês, francês e italiano a anos. Ao que tudo indica nasci no século errado.

Postado dia 07 de outubro de 2016, em Na Estante

O CASAMENTO DE NELSON RODRIGUES

 

Recebi o romance O Casamento (1966) de Nelson Rodrigues no primeiro mês em que fiz assinatura de um clube de leituras, acostumada as suas crônicas estranhei [...]

LEIA MAIS
Postado dia 07 de outubro de 2016, em Na Estante

A POESIA VIRA VIAGEM EM JOÃO CABRAL

 

A Literatura como Turismo (2016) de João Cabral de Melo Neto (1920-1999) nos lembra que o escritor é mais cultuado do que lido. Sua atividade literária f[...]

LEIA MAIS
Postado dia 07 de outubro de 2016, em Na Estante

UMA GARÇA NO ASFALTO DE CLAUDER ARCANJO

 

O mundo dos livros tem seus mistérios e um dos que mais gosto é encontrar pessoas que compreendam o meu amor pelas letras, isso não tem preço. Numa manhã de sábad[...]

LEIA MAIS
Postado dia 07 de outubro de 2016, em Na Estante

DESCOBRINDO O MUNDO COM CLARICE LISPECTOR

 

     Clarice Lispector é um mistério para todos os que se aventuram a entrar em seu mundo. Li “Todos os Cantos”, volume com as [...]

LEIA MAIS