Na Estante

O CAMINHO ESTREITO PARA OS CONFINS DO NORTE

 

    O Caminho Estreito para os Confins do Norte (2014) escrito em 12 anos pelo jornalista australiano Richard Flanagon é o tipo de livro que deixa a sensação que se leu uma grande obra, e o principal a vontade de reler. O livro mostra que numa guerra todos os seres humanos envolvidos são perdedores, porque as sequelas na alma são irreparáveis. O protagonista é Dorrigo Evans, (inspirado no pai do autor) um australiano, médico e oficial do exército, um homem de 77 anos que quando foi convidado a escrever o prefácio de um livro de desenho de um antigo colega do Exército relembra o que viveu quando seu pelotão foi prisioneiro do exército japonês.

Autumn trees in the misty forest.

    A narrativa expõe de forma dura e com impressionante riqueza de detalhes o cotidiano da guerra do ponto de vista da consciência das pessoas. Dorrigo era prisioneiro da construção da ferrovia entre o Sião (atual Tailândia) e a Birmânia (atual Myanmar), conhecida como a “ferrovia da morte”, em consequência do número de mortes e das péssimas condições de trabalho do processo. Ele é assombrado pela lembrança dos jogos de cartas com os soldados japoneses para tentar conseguir um pouco mais de comida e barganhar o número de australianos com condições de saúde para ser enviados ao campo de trabalho.

Silhouette of a man and his dog at sunrise.

    Diante do cenário de trabalhos forçados, cólera, malária, desnutrição, infestação de piolhos, ulceras diversas, Dorrigo percebe que o seu papel é tentar trata-los da melhor forma possível, com as condições que possui, chegando a realizar cirurgias sem anestesia e instrumentos adequados. A grandeza do personagem é que a construção do seu heroísmo é relutante, ele acredita que não tem os elementos necessários para ser um bom homem. “Não acreditava em virtude. Virtude era a vaidade bem vestida e esperando aplausos. Ele estava farto de dignidade e nobreza”.

Richard Flanagan pictured after winning the 2014 Man Booker Prize, for his book The Narrow Road to the Deep North, at the Guildhall in London..

     Apesar de não ser exatamente uma pessoa autoconfiante, ele casa com Ella uma australiana de boa família que tinha conhecido antes da guerra e mantém a aparência de pai de família e cirurgião respeitado, porque acredita que isso é o que deve ser feito. Embora tudo o que queira seja encontrar com Amy o seu amor proibido da juventude, esposa de seu tio com quem viveu um tórrido romance. Não fácil de ler esse livro, pude sentir a angústia dos personagens, os conflitos emocionais, o texto é épico e de um realismo impressionante. A descrição é atemporal e não é um livro apenas sobre a Segunda Guerra Mundial, mas sobre os efeitos de um conflito desse porte na vida de uma pessoa.

Comentários