Misturas Filosoficas

AMOR, SÓ, NÃO BASTA

            A grande maioria das pessoas sonham com uma paixão que as faça tirar o folego, bater forte o coração, tremer as pernas, rir a toa, cantarolar dentro de ônibus lotado. Depois que acaba essa paixão, sobra o amor, não aquele mitificado e inatingível para a vida, mas o amor que temos por pais, filhos, irmãos e amigo, o amor é único como qualquer outro sentimento, a diferença é que entre amantes existe vida sexual. Por outro lado, esse amor entre amantes não é infalivel e basta cobranças excessivas e alterações de voz para que ele se fragilize. Em um casamento o respeito é tão importante quanto o amor. Dizem que não existe receita pronta para a vida, mas alguns valores são universais como: agressão zero, disposição para ouvir o outro e muita paciência. Não pode haver também, competições, cada assume seu papel, na relação e no mundo.

            É preciso muita tolerância para conviver com as adversidades: rejeições, desempregos inesperados, contas que se multiplicam, disciplina e consenso na educação dos filhos. União não significa fusão, acredito que é preciso vida própria e as vezes fingir que não ouviu, fazer de conta que não escutou. O amor não é só poesia é preciso discernimento e pé no chão. Isso mostra que o amor sozinho não dá conta do recado, é preciso convocar uma turma de sentimentos para ampara-lo. O amor pode nos bastar, mas ele sozinho não se basta.

Comentários