Galeria de Arte

ROBERT DOISNEAU E AS MELHORES FOTOS DO SÉCULO XX

 

            As fotografias de Robert Doisneau (1912-1994) por serem em preto e branco me trazem a memória a condição da luz como propriedade primordial da fotografia. O século XX é o período primordial da fotografia tudo é minuciosamente registrado e os instantes dos mais alegres aos mais tristes são congelados pelo tempo. Robert Doisneau escolheu uma das mais charmosas e importantes cidades ocidentais para registrar o cotidiano das ruas e as pessoas comuns: Paris, a Cidade das Luzes.

            São fotografias que transcendem os tempos e se estabelecem no espaço destinado as grandes obras. O que mais me fascina na fotografia é sua capacidade de registrar o momento e o tempo com exatidão suspendendo congelando situações, regida por diferentes momentos. O que me surpreende nessas fotografias é que meu olhar contemporâneo viciado em exposições instantâneas de comunicação vê as imagens de Doisneau como saídas do cavalete de alguma pintura.

            Para um registro tão minucioso e humanizado foi preciso antes de tudo profundo conhecimento e compreensão das características citadinas e humanas de Paris. As fotos revelam um forte legado cultural com elementos banais do cotidiano, revelando as expressões artísticas e formas de vida de um povo. A Paris mostrada por Doisneau é cheia de vida e mostra seu tempo e sua cultura.

            Ver imagens sem cor num tempo em que as cores se tornaram óbvias tem um pouco de magia, encanto e cultura. É uma viagem no tempo de Doisneau, um tempo onde os tipos humanos estavam além das mudanças e transformações tecnológicas e a fotografia abusava da luz para revelar imagens.

Comentários