Galeria de Arte

RENOIR, DE GILLES BOURDOS

 

Renoir (2013) é um filme premiado francês, que fala de grandes figuras da arte, o pintor Pierre-Auguste Renoir e seu filho o cineasta Jean. O filme é centrado em extremos as últimas produções do pintor e as definições do futuro cineasta. A história se passa no período da Primeira Guerra Mundial, a fotografia se destaca logo no início com cores vivas e alegres, refletidas nas paisagens naturais. O cenário e as cores possibilitam ao espectador ver como o pintor via o mundo e quais as diretrizes centrais do Impressionismo, que possibilita ao espectador leveza e bem-estar.

É interessante perceber a transformação do jovem entusiasta da defesa da pátria para um dos maiores cineastas da Europa, é uma família ligada as artes, que é sacudida por uma espécie de triangulo amoroso entre o pai, o filho e a modelo Andrée. Ela traz um tom mais dramatúrgico ao filme e destaca de forma convicta o papel das artes, exigindo para si um papel de destaque na família. A modelo transforma a vida dos dois, é a vida que a casa estava precisando.

Renoir é o tipo de filme para ser apreciado, a estética é o ponto forte, muito mais do que a história, tem ritmo lento, mas tudo acontece, onde o vazio é preenchido por confrontos secretos e desejos refreados. A câmera se movimenta de forma elegante, quase fluídica.  É possível identificar diversos elementos da pintura de Renoir e do movimento Impressionista. Trata-se de um filme artístico, bem distante de histórias e formatos comerciais, acredito que seja uma ótima oportunidade para conhecer o pintor, superando as vãs cinebiografias.

Comentários