Galeria de Arte

A ARTE SURREALISTA DE RENÉ MAGRITTE

         Depois de conhecer a arte de René Magritte, artista plástico nascido na Bélgica em 1898, é impossível não fazer a associação com o design gráfico moderno, o imaginário e as fronteiras do pensamento. Nos anos 1920 quando se muda para Paris, integra o grupo surrealista francês, mas seu trabalho é ligado a psicanálise. Sua obra se identifica com os signos linguísticos, suas criações são conhecidas para chocar o observador, surpreender e convidar a pensar, é a liberdade de mudar a realidade e dar as coisas uma lógica que contradiga as leis da percepção do comum.

         A noção convencional de um simples retrato é subvertida e ganha tons de mistério quando insere uma maça em frente ao rosto de um homem ou sacos em um casal se beijando. Seu trabalho é silencioso, penso ser uma pintura voltada para o pensamento que nos questiona: qual o lugar da imagem? Qual o lugar da palavra? Suas pinturas são nos levam ao lugar do mítico, da ordem que estabelecemos entre as coisas.

         Ele reinventou a enciclopédia, criou novos objetos, trocou o nome das coisas, transformou as funções, ele tocou diretamente o mundo e a sua ordem misteriosa. Penso que a melhor forma de ler obras de arte é através dos meu olhos do meu desejo de leitora, convido a um mergulho silencioso na pintura desse artista, que é na verdade, grande expressão do nosso mundo categorizador, nomeado, imaginário. Magritte nos leva a um lugar perdido na nossa lembrança onde tudo pode existir independente das palavras.

 

Comentários