A Magia do Cinema

ZÉ CARIOCA LEVA DONALD A BAHIA


            Algumas máximas que constroem a ideia de Brasil, de seus hábitos, costumes e características, foram construídas socialmente, um dos responsáveis por essa construção foram os filmes, em especial o filme Você já foi a Bahia? De Walt Disney de 1944 que trazia o icônico personagem Zé Carioca, criado quando Disney fez uma turnê pela américa latina como resultado do esforço estadunidense, para reunir aliados durante a Segunda Guerra Mundial (1939-1945).

            A viagem foi realizada em 1941 e tinha como pretexto, demarcar a solidariedade entre as Américas, conhecer as músicas, danças e talvez um companheiro para os personagens Mickey e Pato Donald. Na verdade Disney tinha interesse em divulgar sua própria imagem e seus estúdios em outros locais do mundo. Contribuindo assim, para a divulgação do seu trabalho e de suas ideias. Zé Carioca foi criado por Walt Disney, no Rio de Janeiro no Copacabana Palace.

            O filme inicia-se no aniversário do Pato Donald e ele recebe uma caixa de presentes dizendo ser dos seus amigos da América Latina, agradecendo sua visita. Na caixa tem um projetor de cinema que mostra aves raras da região amazônica brasileira, depois dessa apresentação a caixa começa a vibrar e do livro sai o Zé Carioca tocando e sambando e perguntando ao Pato Donald Você já foi há Bahia? O interessante é que a apresentação da Bahia se dá de forma precipitada anunciando que tem vatapá, caruru e mungunzá, se você gosta de samba então vamos lá. Os dois entram num trem e sob o som de uma música contagiante chegam a Bahia.

            A cena mais irresistível é quando uma jovem baiana, protagonizada por Aurora Miranda, já que na época, Carmen Miranda estava contratada pela FOX, canta e encanta, interpretando uma vendedora de quindins, cantando a música de Ari Barroso, Os Quindins de Ya Ya. Donald se apaixona pela baiana, ganha um beijo dela e todos entram no samba. Nesse mundo colorido e fantástico, não tem negros nem pobreza, tudo é exótico, mágico e vibrante.

            Após a viagem a Bahia, Donald e Zé Carioca vão ao México e lá encontram o Galo Panchito, que mostra as belezas e a diversidade natural de sua terra. Esse foi o primeiro filme da Disney em que humanos e desenhos. O personagem mais caricato e que contribui com a construção da ideia do malandro brasileiro é o Zé Carioca, começando pela sua indumentária que é: paletó, gravata, borboleta, chapéu panamá, charuto e guarda chuva. É o malandro tipo exportação, e o primeiro da novelística brasileira, que conduz o estrangeiro numa viagem fantasiosa para uma terra imaginária, onde será centrada as bases para a influência cultural e política dos EUA na América Latina.

            Um filme que vale a pena ser visto e discutido, seja pela magistral trilha sonora, pela impecável atuação de Aurora Miranda, pelas cores que pintaram o Brasil, por um Pato Donald que se mostrava adorável. Nunca me diverti tanto com uma animação da Disney a combinação animação com live action tem qualidade superior se considerarmos que estamos em 1944. Clássico atemporal, que supera as histórias ideológicas criadas em torno da obra.

           

            

Comentários