A Magia do Cinema

THE CROWN, RESENHA

The Crown (2016) produzida pela Netflix foi uma boa surpresa para mim nesses últimos meses do ano. A série se propõe a responder a pergunta: quem é Elisabeth, essa figura enigmática que sustenta a monarquia britânica a mais de sessenta anos? A cada episódio essa pergunta vai sendo respondida e a figura de Elisabeth pessoa particular, vai cada vez mais se misturando ao seu papel em instituições e costumes que parecem fora de hora.

The Crown

 

Elisabeth (Claire Foy) era uma jovem mãe e esposa apaixonada com sonhos e perspectivas, mas que precisa mudar de vida após a doença do seu pai o rei George VI. As responsabilidades e obrigações são tão grandiosas que ela só vai percebe-las ao longo do tempo e dos acontecimentos, sua rigidez na vida se acentua e parece necessária diante de sua tarefa como rainha. A série enche os olhos, a produção e a reconstrução de época são impecáveis, a direção de arte muito bem elaborada. Mesmo a construção, com cunho novelesco não apaga o capricho da elaboração da estória.

The Crown Season 1

É inegável o papel desproporcional da monarquia mesmo na segunda metade do século XX, quando a rainha assume o reinado da Inglaterra, mas The Crown nos mostra a relevância sócio cultural desse complexo sistema político, traçado em inrigas de bastidores, brigas palacianas, interesses pessoais, disputas familiares, conflitos pessoais. O roteiro foi construído para ser visto aos poucos, com tempo para apreciar os detalhes. A série cumpre bem o papel de mostrar quem é essa mulher e qual o peso que a coroa representa.

Comentários