A Magia do Cinema

QUANDO VI O FILME DO KAROL WOITYLLA


            O cinema sempre teve um significado especial para mim, sua simbologia, sua fotografia, suas luzes e estórias, me deslocam da realidade. Em uma das minhas incursões em busca de filmes, deparei-me com o filme: Karol um homem que se tornou papa, e resolvi levar para casa. Grata surpresa a qualidade do filme e tudo que ele transmite provocaram-me uma reflexão sobre a vida.

             Karol, com 18 anos, como outros de sua idade, vive de sonhos e expectativas, com gosto para a arte, é poeta e ator. A vida lhe dá um duro golpe quando os Nazistas da Segunda Guerra Mundial invadem a Polônia, fazendo os moradores escravos e matando os judeus. Wojtyla vê os seus amigos, um a um sendo mortos e seus sonhos se decompõem. No entanto, ele passa a ver que a vida é feita de escolhas, e que cabe a cada um escolher o caminho e a cor que ela vai ter.

            Procura a Igreja Católica e diz que quer seguir a vocação do sacerdócio. Karol mostra que o que possui valor imensurável é que diante da dor e dos abismos que são capazes de imprimir a alma humana, somente com o amor, o perdão e a liberdade existirá a possibilidade da construção de um mundo melhor. Posteriormente a Polônia é invadida pelo regime comunista e o sacerdote Wojtyla enfrenta o regime com coragem capaz de despertar o país da letargia em que vivia e chamar atenção do resto do mundo para os problemas impostos pelo regime totalitário.


            O filme traz uma sucessão de acontecimentos, em que Karol enfrenta com encorajamento as dificuldades pelas quais passa, e conclui com sua eleição a Papa. O que é mostrado acima de tudo é o homem Karol, e a mensagem maior que ficou para mim foi que com fé, esperança, oração e amor é possível vencer qualquer obstáculo.

Comentários