A Magia do Cinema

ELE ESTÁ DE VOLTA

 

     Ele está de volta (Alemanha-2015), foi um dos filmes mais inteligentes que vi nos últimos tempos, considerando a dificuldade que é falar em Hitler e o comprometimento do povo alemão com o nazismo e o genocídio empreendido nos acontecimentos da Segunda Guerra Mundial. O filme era para se uma comédia, mas sobra humor negro e sacadas bem construídas. O longa é uma adaptação do livro homônimo de Timur Vermes. Um belo dia, em plena segunda década do século 21, Hitler acorda em pessoa, sem ter nenhuma ideia do que aconteceu no mundo desde 1945.

     A atuação do ator Oliver Masucci na figura do ditador é assombrosa. Eles atravessam o país, e em todos os lugares as pessoas se afinam com a ideologia. Pessoas reais cumprimentam entusiasmadas, o falso Hitler, uma vendedora de cachorro quente reclama da suposta liberdade dada aos estrangeiros. É um exagero óbvio, mas muito bem explorada pela comédia, nunca se viu tanta profundidade alemã numa produção do gênero, mas com forte conotação política.

     O questionamento da relação entre os alemães com Adolfo Hitler é elemento central do filme, que traz trechos de pessoas em bares que questionam as boas vindas aos estrangeiros e dizem: “no tempo de Hitler não era tão ruim assim”. Questiona-se também se o assassino alemão teria sobrevivido a guerra. Para mim o mais forte foi o questionamento da conivência da população com as atrocidades cometidas pelo ditador em uma das últimas falas do longa, Hitler em pessoa diz: “eles não conseguem se livrar de mim, eu sou parte deles”.

Comentários