COMO CONHECI JULIA CHILD

Postado dia 17 de agosto de 2012, em A Magia do Cinema

         


   Essa semana foi o centenário de Julia Child e o Google deixou informações sobre ela em sua página principal. Lembrei-me de como a conheci e senti vontade de escrever sobre ela. Só a conheci ao assistir o filme Julia e Julie, onde são entrelaçadas duas estórias de uma americana na atualidade Julie e Julia a famosa cozinheira da TV americana quando morava na França no período da descoberta de sua vocação por cozinhar. Confesso que fiquei encantada com a atuação de Maryl Streep, que mergulhou profundamente na personagem. 


            Ao fazer sua primeira refeição em solo francês no final dos anos 1940 Júlia quase vai as lágrimas ao provar um linguado com bastante manteiga. Ela e o marido, burocrata de Estado, vão viver na França. Entediada busca uma atividade que possa preencher os seus dias e descobre o fantástico mundo da culinária francesa.



            Encantada pelo sabor da comida francesa ela decide aprender a cozinhar na escola de culinária Le Cordon Bleu. Daí ela resolve escrever um livro em que possa ensinar as americanas como cozinhar as receitas da culinária francesa, leva oito anos para isso. Acredito que o seu desejo íntimo é revolucionar, provocar mudanças no mundo culinário, e conseguiu, com o seu jeito simpático e natural ser um importante nome da área.



            Depois de ver o filme vi uns vídeos da Julia no Youtube e achei seu desempenho fantástico, fico imaginado como ela soube viver bem, e no lindo romance que teve com o marido. O legal da época em que Julia viveu é que não tinha tanta obsessão por uma forma física de uma pré adolescente como o padrão de beleza atual estabelece. O seu livro mostra receitas com dúzias de ovos, muita manteiga e açúcar, algo impensável hoje quando medimos o valor de cada caloria.




            Para mim é uma celebração aos prazeres da vida, pelo menos os gastronômicos, vi que é impossível se cozinhar com liberdade se existe preocupação com a balança. A comida é mostrada de uma forma tão bonita que tive vontade de testar várias receitas, para poder dizer: Bon Apetit.

Comentários

AÍLA ALMEIDA

Leitora compulsiva, levo a vida a assistir filmes, escrever textos que me acalma e fazer bolos. Queria saber desenhar e costurar. Quero passar um tempo em Paris, pular de para quedas, criar mais um cachorro. Queria se poliglota, estudo inglês, francês e italiano a anos. Ao que tudo indica nasci no século errado.

Postado dia 17 de agosto de 2012, em A Magia do Cinema

A UNIVERSALIDADE DA CLIENTELA DE NICE DA SILVEIRA

 

         Ver o filme Nice no coração da loucura (2016) é um alento para a alma e o que existe de mais profundo no humanismo, o campo da saúde mental. Nice [...]

LEIA MAIS
Postado dia 17 de agosto de 2012, em A Magia do Cinema

THE CROWN, RESENHA

 

The Crown (2016) produzida pela Netflix foi uma boa surpresa para mim nesses últimos meses do ano. A série se propõe a responder a pergunta: quem é Elisabeth, essa figu[...]

LEIA MAIS
Postado dia 17 de agosto de 2012, em A Magia do Cinema

AQUARIUS É UM FILME QUE PRESERVA A MEMÓRIA

     Aquarius (2016) do diretor Kléber Mendonça é antes de tudo um filme sobre a memória sem saudosismo ou qualquer outro tom piegas.[...]

LEIA MAIS
Postado dia 17 de agosto de 2012, em A Magia do Cinema

A SEGUNDA TEMPORADA DE NARCOS É MELHOR AINDA

 

         A segunda temporada de “Narcos”, da Netflix com o ator Wagner Moura no papel do traficante Pablo Escobar com dire[...]

LEIA MAIS