A Magia do Cinema

A MELHOR COMÉDIA DO CINEMA: QUANTO MAIS QUENTE MELHOR

            Quanto mais Quente Melhor de 1959 é uma comédia no estilo pastelão estrelada por Marilyn Monroe e Tony Curtis, impregnada de cinismo. Curtis acha que só quer sexo, Marilyn que está apenas interessada em dinheiro e eles, ficam espantados e encantados ao descobrir que a única coisa que querem é um ao outro. O enredo é a típica comédia de besteirol. Curtis e Lewis desempenham músicos de Chicago vestidos de mulher para fugir da máfia. Eles se agregam a uma banda feminina e lá conhecem Marilyn que está em busca de um milionário, Curtis se finge de milionário para conquista-la.


            O filme continua leve, divertido, com Marylin como cantora interpretando muito bem como no solo em que canta “I Wanna Be loved by you” em que ela transforma numa fascinante e ruidosa ambientação sexual. O interessante é que ela parece alheia a sua conotação sexual, pois canta inocentemente a sua música como se fosse a única verdade.


            Um fato curioso são as lendas que existem em torno do filme. Curtis dizia que beijar Marilyn era como beijar Hitler. Marilyn tinha enormes dificuldades para decorar as falas, com extravagâncias e neuroses. A história é sobre os músicos que se vestem de mulher, mas é ela quem rouba a cena. Lemmon o companheiro de Curtis é quem aparece numa das melhores cenas do filme. No dia seguinte a uma noite romântica com um milionário, e brincando com castanholas, diz que vai casar com este para ficar com a pensão, no melhor do segmento pastelão.


            O final é uma pérola, quando o milionário que vai casar com Lemmon descobre que ele é homem e Monroe que Curtis não é um milionário eles não se aborrecem e o clima divertido do filme permanece. Comédia que se mantém atual, vê-la hoje ainda é divertido, inteligente e cativante, mesmo para o nosso olhar contemporâneo bem mais sagaz do que o público da época em que o filme foi produzido.

Comentários