A Magia do Cinema

A BELA DA TARDE COM KATHERINE DENEUVE

Quando eu soube que Katherine Deneuve fez 70 anos um filme passaria insensatamente em minha cabeça A bela da tarde de 1967, de Luís Buñuel que Deneuve fez é a história de uma respeitável jovem esposa que trabalhava secretamente num bordel durante as tardes, uma ou duas vezes por semana. É um filme que entende o erotismo as avessas não na pele nem no suor mas na imaginação.

            A bela da tarde é visto sob a perspectiva de Séverine, a jovem de 23 anos, esposa de cirurgião. É um filme malicioso sobre o terreno da natureza humana, onde uma jovem tem como objeto de paixão somente ela mesma. Seu mundo é de fantasia. Não há sexo explícito no filme e a cena mais famosa é quando um cliente mostra o conteúdo de uma caixinha laqueada primeiro para uma outra jovem, depois para Séverine. Não sabemos o que tem na caixa, mas Buñuel nos faz imaginar que é algo de grande carga erótica.

            Deneuve é perfeita no filme, com sua atuação fria e distante atende bem o caráter desdenhoso e refinado de Buñuel, ele acreditava que as pessoas eram conduzidas na infância a um comportamento sexual que duraria toda a vida. O filme é montado elegantemente, cenário, figurinos, andamento do roteiro. É a história do acomodado profissional de classe média, que tem um casamento que não satisfaz a fantasia de sua mulher. Deneuve no auge da juventude encarna muito bem esse papel que a acompanha por toda a vida.

Comentários